1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer
Last Update:
General update: 09-09-2021 21:18

Espalhe por ai:

FacebookTwitterYoutubeLinkedin

OS MORROS TAMBÉM PRECISAM DE UM BANCO

Os morros de Santos têm passado, nos últimos anos, por significativas transformações em sua ocupação, em especial fruto das alterações realizadas na Lei de Uso e Ocupação do Solo. Novos investimentos imobiliários foram realizados, assim como, a construção de novas edificações comerciais. Pensando nisso, há anos, o vereador Ademir Pestanas (PSDB) vem pleiteando junto aos órgãos competentes, a implantação de agências bancárias, prioritariamente, na Nova Cintra e São Bento. Por meio de requerimento, Ademir chamou a atenção dos parlamentares quanto a importância de sua reivindicação. 

Segundo ele, o Poder Público vem aprimorando a infraestrutura de acesso aos moradores e para aqueles que por ali transitam, destacando-se a recente obra de modernização da Av. Francisco Ferreira Canto, com duplicação de pistas, melhorando a ligação da Zona Noroeste com a Zona da Orla que passa pelos morros. Aponta ainda, que foram realizados significativos investimentos para modernizar a Lagoa da Saudade, no Morro da Nova Cintra.

“Entretanto, a população que reside ou desenvolve suas atividades comerciais nesta região da cidade, ainda não conta com Agências Bancárias que são fundamentais para promover e impulsionar o desenvolvimento e os negócios”, disse.

Ademir afirmou estar nesta luta há mais de cinco anos, quando apresentou o Requerimento de nº 1814/2015 solicitando estudos a diversas entidades no sentido de se implantar Agências Bancárias nos morros de Santos.

Ressalta que são mais de 35 mil moradores nesta região da cidade, além de todas as atividades comerciais ali instaladas, os quais necessitam se deslocar a outros bairros da cidade, “descer a ladeira”, para poderem contar com serviços bancários.

No Rio de Janeiro existem agências bancárias da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil em várias comunidades, entre elas: no Complexo do Alemão, na Cidade de Deus, no Vidigal e na Rocinha.

A pesquisa “Economia das Favelas” demonstrou que os serviços bancários estão mais presentes dentro das comunidades. Cerca de 69% dos moradores já possuem algum serviço financeiro. O uso de aplicativos financeiros e o surgimento de agências dentro das comunidades contribuíram para este avanço.

         Por sua vez, os morros de Santos, apesar de toda sua infraestrutura e de seu potencial de negócios, até o momento, ainda não conta com nenhuma Agência Bancária que possa atender a demanda e as necessidades da população que ali reside e trabalha. Cópia do requerimento foi encaminhado à Febraban, algumas instituições financeiras como, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, senadores e deputados federais.